Energia fotovoltaica poderá contar com a instalação de 194 GW em 2021, que será realizada globalmente

Somando US$ 148,6 bilhões, os aportes na geração solar aumentaram 12% na comparação anual, conforme projeção da BloombergNEF

Segundo relatório da BloombergNEF, em 2021, a nova capacidade instalada de energia solar fotovoltaica no mundo poderá alcançar a marca dos 194 gigawatts (GW), depois da fonte ter estimulado os investimentos na transição energética em 2020. Mesmo com a crise econômica provocada pela pandemia da Covid-19, os aportes na geração solar totalizaram US$ 148,6 bilhões, correspondendo ao crescimento de 12% na comparação anual.

A projeção indica que, em 2020, aproximadamente US$ 500 bilhões foram aplicados no desenvolvimento de projetos, negócios e sistemas renováveis, em uma conjuntura na qual os governos de diversos países determinaram novas metas de descarbonização. A transição energética atraiu um financiamento de US$ 303,5 bilhões, provocando o crescimento de 2% nos aportes financeiros em renováveis, caracterizando a primeira vez que o setor atingiu essa posição.

Além disso, US$ 139 bilhões foram aplicados em veículos elétricos e estações de recargas, retratando um acréscimo de 28% quando comparado a 2019. Em contrapartida, os investimentos em empreendimentos eólicos somaram US$ 142 bilhões, simbolizando uma redução de 6%.

No primeiro semestre de 2020, momento em que os reflexos da pandemia repercutiram negativamente no financiamento de projetos e na execução de leilões, os investimentos em nova capacidade caíram 12%. Entretanto, após esse cenário, a convicção no setor solar manifestou uma recuperação.

De acordo com a BNEF, a expectativa é de que, até o final de 2021, mais de 150 GW de capacidade solar sejam instalados, 13% a mais do que foi calculado pela organização. Em um dos cenários previstos, o valor chega a 194 GW. O parecer também afirma que o preço médio aproximado de módulos fotovoltaicos, o qual foi US$ 0,20 por watt em 2020, poderá ser reduzido para US$ 0,18 neste ano.

No ano passado, projetos de armazenamento de energia contaram com aportes de US$ 3,6 bilhões, em linha com os valores observados em 2019. Isso foi estimulado pelo rápido crescimento no continente americano por meio dos recordes obtidos em investimentos em tecnologia no ano de 2020, os quais atingiram US$ 1,2 bilhões. No entanto, conforme a projeção, os investimentos diminuíram na África, Europa e Oriente Médio.

Jon Moore, CEO da BNEF, relatou que os investimentos em energia eólica e solar permaneceram intensos, apesar dos reflexos da pandemia terem prejudicado alguns projetos. As previsões em relação aos gastos com veículos elétricos também foram superadas.

O empresário ressaltou o aumento das ambições em metas ambientais, com maior destaque de programas de estímulos verdes e com mais negócios e empresas se empenhando para zerar as emissões de carbono. “Pouco mais da metade das emissões de 2016 estão agora sob alguma forma de comprometimento de neutralidade, o que deve impulsionar os investimentos nos próximos anos”, disse Moore.

Fonte: Portal Solar - 27/01/2021

Tablet energia Solar

Economize na
sua conta com
energia limpa!

Conheça nossas soluções
Conheça nossas soluções